ESTUDANTES DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO ESTÃO NA FINAL DA OLIMPÍADA NACIONAL EM HISTÓRIA DO BRASIL (ONHB)

Compartilhe:

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) anunciou na última quinta-feira (16/6) os estudantes que estão na final da 14ª Olimpíada Nacional em História do Brasil (ONHB). Ao todo, 320 grupos de todos os estados irão concorrer a medalhas de bronze, prata e ouro que serão disputadas de forma presencial na Unicamp, em Campinas, nos dias 20 e 21 de agosto.

São José do Rio Preto está na disputa. Entre 36 mil alunos que se inscrevem, apenas 960 estão nesta reta final.  A equipe Antropófagos, do Colégio Liceu, formada pelos estudantes Léo Peixe de Boni (16 anos), Matheus Oliveira (16 anos) e Muriel Salimon (17 anos), já está com as malas prontas. Para Léo, que cursa a segunda série do Ensino Médio e tem o sonho de ser professor de História, esta é uma grande conquista e uma recompensa pelo esforço dedicado a cada fase da Olimpíada.  

“Participar deste evento muda nossa rotina de estudos. Cada fase traz reflexões e ensinamentos importantes, colaborando para o nosso ensino e nos preparando para o vestibular e para a vida. Vamos estudar muito e estamos preparando um planejamento de estudos de agora até a final para conseguirmos trazer para a nossa cidade uma medalha”, conta. 

Para o professor de História do Colégio Liceu, André Gonzaga, que acompanhou de perto cada fase da competição, os alunos já são vitoriosos só de chegarem à grande final. “No início eram quase 12 mil equipes de todos os estados do Brasil (36 mil alunos), agora são só 320 turmas (960 estudantes) e apenas 41 do nosso Estado. Chegar até aqui já é muito positivo, mas vamos continuar nos estudos para ir além”, conta. 

Além de André, a equipe finalista também contou com o apoio do diretor do Colégio Liceu, Antonio Carlos Tozzo, e das professoras de Gramática, Suzi Dolce, de Sociologia e Filosofia, Gláucia Carvalho, e de redação, Monelise Vilela.

A competição também faz parte do edital ‘Vagas Olímpicas’ da Unicamp. De acordo com o desempenho, os participantes podem concorrer a duas vagas no curso de graduação em História da Unicamp, sem passar pelo  vestibular. 

A ONHB é realizada com apoio do Departamento de História da Unicamp e da Associação Nacional de História (Anpuh). Conta com a participação de docentes universitários, alunos de graduação, mestrandos e doutorandos.

A cidade de Rio Preto também será representada por equipes do Colégio Santo André e Policare.

Números da ONHB

Segundo a assessoria de imprensa da Olímpiadas, a região Nordeste é a que tem maior número de equipes na final, com 213 grupos. Destacam-se os estados do Ceará, com 83 equipes, Pernambuco, com 46,  Bahia, com 30 equipes. Na sequência, estão Rio Grande do Norte, com 28 equipes, Sergipe, com 11, e Paraíba, com 9.  Alagoas, Maranhão e Piauí contam com duas equipes cada na final. 

Quanto às outras regiões do país, São Paulo é o estado com maior número de finalistas, um total de 41 grupos. Em seguida, está Minas Gerais, com 15. 

Neste ano, a ONHB recebeu inscrições de 11,4 mil equipes, totalizando mais de 73 mil pessoas. Participam da Olimpíada, estudantes dos 8º e 9º anos do Fundamental e do Ensino Médio, em grupos compostos por três alunos e um professor. 

“Estamos bastante otimistas com a retomada da final presencial da ONHB. Essa é uma experiência muito importante para as equipes, pois é uma oportunidade de conhecerem uma universidade importante como a Unicamp e interagirem com estudantes de todo o Brasil”, explica Cristina Meneguello, coordenadora da ONHB e professora do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp (IFCH).

Sobre a Olimpíada de História

A ONHB conta com seis fases online, que foram realizadas nos meses de maio e junho, com duração de uma semana cada. As provas dessas etapas incluíram questões de múltipla escolha e realização de tarefas, que podem ser elaboradas pelos participantes com base em debate com os colegas, pesquisa em livros, internet e orientação do professor. 

Na final, as equipes farão uma prova dissertativa no sábado (20/8). No dia seguinte, no domingo, serão anunciados os grupos medalhistas em uma cerimônia festiva, no Ginásio da Unicamp. Serão entregues 15 medalhas de ouro, 25 de prata e 35 de bronze. As equipes que não forem premiadas receberão medalha de honra ao mérito.

Além de temas sobre a História do Brasil, a ONHB apresenta questões que permeiam assuntos interdisciplinares, como geografia, literatura, arqueologia, patrimônio cultural, urbanismo, atualidades etc. 

“A ONHB é uma importante ferramenta de ensino de História do Brasil e estimula a análise crítica dos estudantes. Também contribui para a preparação de alunos para vestibulares, concursos e exames, como o ENEM”, acrescenta Meneguello.

Fonte: https://www.olimpiadadehistoria.com.br/noticias/ler/275

Compartilhe:

Post Author: Sonia