FrESTA – Jornada Literária segue com contações de histórias, podcasts e abre portas para nova edição do Sarau Urbano

Compartilhe:

Festival continua até domingo (23) com mais de 50 horas de atividades culturais e formativas

Com atividades envolvendo diversos segmentos da literatura e com apresentações de teatro, cultura urbana, dança, música, cultura negra e popular, o FrESTA – Jornada Literária continua com sua programação até o dia 23 de maio.

São cerca de 50 horas de atividades culturais gratuitas para o público conferir e participar, com debates importantes e temas necessários, mostrando que a literatura vai além do livro. A programação está disponível nas mídias digitais da Cia. Apocalíptica: Spotify, YouTube, Facebook e Instagram (@cia.apocaliptica).

“As atrações são de uma sensibilidade, de encher os olhos, abre mesmo uma fresta no campo da possibilidade e incentiva a imaginação, de forma que faz tempo que não víamos, algo que dá pra perceber pelo público que tem participado de forma cativa. Até domingo, teremos muitas atrações, lives, espetáculos,  atividades formativas, tá rolando uma feira de livros no nosso Instagram onde as pessoas podem adquirir livros direto com os escritores”, diz Thiago Augusto Lima, um dos idealizadores e proponente do FrESTA, que é realizado com recursos da Lei Aldir Blanc São José do Rio Preto, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal.

Sarau Urbano

Para o encerramento do FrESTA, o já conhecido Sarau Urbano volta a ativa com a participação do público. O evento que marcou o movimento cultural riopretense em sua história recente será realizado em formato online, com duração de 1h transmitido ao vivo pelas mídias sociais da apocalíptica.

Sexta-feira

Como o FrESTA aborda outras linguagens além da literatura, os artistas Carol Manzato e Juny KP apresentam às 11h, o vídeo poema “Colapso Mpeg”, no qual aborda o universo tecnológico e faz comparações com o século passado e os tempos atuais. A Cia. Apocalíptica realiza a primeira contação de histórias do dia com “O Pequetito”, às 11h30.  Durante todos os dias do evento, às 12h, um podcast diferente é exibido com a tradução simultânea em libras, e na sexta, o coletivo Sutilezas Poéticas faz o “NINHO: colo e literatura para bebês”. Às 15h, o festival promove o Clube do livro com a educadora Rafaela Nunes, educadora social, o livro que entra e debate é “O Sol na Cabeça”, do autor Geovani Martins.

Na continuidade, às 16h, a Cia. Apocalíptica realiza a contação do “O Príncipe Medroso” e às 16h30, a Cia. Bardos de Teatro dá continuidade à história teatral “Pequeno”, que iniciou na quarta-feira e vai até domingo com cinco episódios.  Já às 17h, o Reni Trombi promove a contação inédita “Vamos Juntas?”, no qual Mãe e filha sentam para ler e contar histórias, fortalecendo esse momento divertido e de conexão com os pequenos.

A autora Camila Puni lança às 19h, o livro/ebook “Zine feminista: datilografias de fúria & saudade”, no qual aborda a experiência gramatical para encontrar a língua falada entre as zineiras (quem faz zines). O livro estará disponível para venda no instagram da Cia. Apocalíptica (@cia.apocaliptica) durante todo o festival. No seguimento, a contadora Sandra Lane apresenta o “Kamishibai Brasil – História na Palma da Mão”, às 20h, um espetáculo que une literatura, artes plásticas, teatro de sombras, contação de histórias e música. Às 21h, a banda Trovalírica finaliza o dia com um show ao vivo.

 Sábado

A Atividade Formativa “O Que é Literatura? A Sublime Viagem da Escrita ao Livro Publicado” será transmitida no youtube da Cia. Apocalíptica a partir das 9h. Já às 11h30, o coletivo Espanhol Minuto realiza a contação “Histórias Antiprincesas” e às 12h, Bel Mayer, de São Paulo, aborda no podcast “O poético, o político e o educativo do direito humano à literatura”.

No seguimento, às 15h, a Casa de Criar promove a Rodinha Literária: “Lygia Bojunga e a Bolsa Amarela” com a intenção de incentivar a leitura e fomentar o hábito de ler. Às 16h, a atriz Priscila Jacomo apresenta o “S.O.S Quase Tudo”, no qual uma bruxa-palhaça-sensitiva recebe cartas, telefonemas e mensagens com os mais diversos pedidos de ajuda. A Cia. Bardos de Teatro dá seguimento no penúltimo episódio do “Pequeno” às 16h30 e às 17h, a contadora de histórias Maria Teixeira Campos, de Salvador, faz o “Conta Maria”.

Inédito no FrESTA, o artista Glaucio Camargos realiza a contação em libras do conto “O ovo e a galinha”, a partir das 17h30.  Às 19h, acontece o Inventário de Oralidades com Eddy Angoleiro na atividade “Contramestre” e às 20h, o Kadu Ilusionista promove o show “De Longe Também Existe Mágica”. A Cia Trilhas da Arte, faz a apresentação do espetáculo “Janelas para uma Mulher”, no qual coloca em discussão qual a função da Arte e do Teatro em tempos atuais. 

Domingo

A Atividade Formativa “Da menina negra à mulher preta: educação e identidade”, da Juliana Costa será transmitida no youtube a partir das 9h. Carol Manzato e Juny KP dão continuidade ao projeto “Colapso Mpeg”, e às 11h30, a Cia. Apocalíptica realiza a contação “Boi Tatá”. No último podcast do FrESTA, a educadora Carol Manzatto debate sobre “Paulo Freire: Leitura de mundo e Leitura da palavra”.

Outra atividade formativa que será transmitida no youtube da companhia é o “NEGRU-ME – Literatura Negro-brasileira”, ministrado por Ivan Reis. Às 15h, Ketlin Santos, que atua há 11 anos na promoção dos direitos humanos e no enraizamento comunitário e liderança feminina, realiza no Clube do Livro a discussão sobre “Hibisco Roxo”, ficção de Chimamanda Ngozi Adichie, que narra os efeitos da colonização branca na África, fazendo com que o leitor conheça a realidade política, educacional e social do país. A Cia. Trilhas da Arte apresenta o espetáculo “O Pequeno Senhor do Tempo”, às 16h.

O último episódio do “Pequeno”, da Cia. Bardos de Teatro vai ao ar às 16h30, na continuidade, às 17h, o coletivo Mimos de Histórias realiza a contação “A Loja de Relógios” e às 17h30, Mafuane Oliveira da Cia Chaveiroeiro promove a contação “Contos de distrair e brincar com a morte”. Às 19h, a poeta paulistana Susanna Busato lança o “Moldura de lagartas”, às 19h, livro vencedor do Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo, o PROAC 2019 e que estabelece o diálogo com essa matéria complexa que é a reflexão sobre a poesia. Já às 20h, o coletivo Eu + Tu apresenta a contação “Yabàs Divindades do Candomblé” e fecha a programação com o Sarau Urbano às 21h.

Programação completa:

Sexta-feira, dia 21

09h – Abaixo a moral e os bons costumes!: Protagonistas controversas que amamos odiar (ou que odiamos amar) (Atividade Formativa)

Bruna Venâncio – São José do Rio Preto

11h – Colapso Mpeg (Vídeo Poema)

Carol Manzato e Juny kp! – São José do Rio Preto

11h30 – O Pequetito (Contação de Histórias)

Cia Apocaliptica – São José do Rio Preto

12h – NINHO: colo e literatura para bebês (Podcast)

Sutilezas Poéticas – São José do Rio Preto

13h – Zines Digitais para professorxs (Atividades Formativas)   

Camila Melo – São José do Rio Preto

13h – Poesia Sonora (Atividades Formativas)

David Biriguy – Belo Jardim/PE

15h – Clube do Livro – Rafaela Nunes

Livro – “O Sol na Cabeça”

16h – O Príncipe Medroso (Contação de Histórias)

Cia Apocaliptica – São José do Rio Preto

16h30 – Pequeno – Episódio 3 (Literatura que ecoa)

Cia. Bardos de Teatro – São José do Rio Preto

17h – Vamos juntas? (Contação de história)

Reni Trombi – São José do Rio Preto

19h – Zine feminista: datilografias de fúria & saudade (Lançamento de Livros) 

Camila Puni – São José do Rio Preto

20h – Kamishibai Brasil – História na Palma da Mão (Contação de história)

Sandra Lane – Belo Horizonte/MG

21h – Show Trovalírica (Literatura que ecoa)

Trovalírica – São José do Rio Preto

Sábado, dia 22

09h – O Que é Literatura? A Sublime Viagem da Escrita ao Livro Publicado (Atividades Formativas)

Lucas Limberti – São Paulo

09h – Escrita de Biografias (Atividades Formativas)

Raul Marques – São José do Rio Preto

11h30 – Histórias Antiprincesas (Contação de história)

Espanhol Minuto – São José do Rio Preto

12h – O teatro dos Bonexcluídos (Atividades Formativas)

Akila Moreira – São José do Rio Preto

12h – O poético, o político e o educativo do direito humano à literatura (Podcast)

 Bel Mayer – São Paulo

13h – O lado negro da França: um panorama das artes francófonas de origens africanas (Atividades Formativas)

Patrícia Carvalho e Monelise Vilela – São José do Rio Preto

15h – Rodinha Literária: “Lygia Bojunga e a Bolsa Amarela” (Chamamento Aldir Blanc)

Casa de Criar – São José do Rio Preto

16h – S.O.S Quase Tudo (Literatura que ecoa)

Priscila Jacomo – São Paulo

16h30 – Pequeno – Episódio 4 (Literatura que ecoa)

Cia. Bardos de Teatro – São José do Rio Preto

17h – Conta Maria (Contação de história)

Maria Teixeira Campos – Salvador/BA

17h30 – O ovo e a galinha (Contação de Histórias)

Glaucio Camargos – São José do Rio Preto

19h – Contramestre (Inventário de Oralidade)

Eddy Angoleiro – São José do Rio Preto       

 

20h – De Longe Também Existe Mágica (Chamamento Aldir Blanc)

Kadu Ilusionista – São José do Rio Preto

 

21h – Janelas Para Uma Mulher (Chamamento Aldir Blanc)

Cia Trilhas da Arte: Pesquisas Cênicas – Campinas

 

Domingo, dia 23

09h – Da menina negra à mulher preta: educação e identidade (Atividades Formativas)

Juliana Costa – São José do Rio Preto

 

10h – Contação de histórias: as narrativas indígenas em foco (Atividades Formativas)

Jessica Martins – Extremoz/RN

 

11h – Colapso Mpeg (Vídeo Poema)

Carol Manzato e Juny kp! – São José do Rio Preto

 

11h30 – Boi Tatá (Contação de Histórias)

Cia Apocaliptica – São José do Rio Preto

 

12h – Paulo Freire: Leitura de mundo e Leitura da palavra (Podcast)

Carol Manzatto – São José do Rio Preto

 

13h – Noções de língua e literatura galega (Atividades Formativas)

Carolina da Costa – São José do Rio Preto

 

13h – NEGRU-ME – Literatura Negro-brasileira (Atividades Formativas)

Ivan Reis – São José do Rio Preto

 

15h – Clube do Livro – Ketlin Santos

Livro – “Hibisco Roxo”

 

16h – O Pequeno Senhor do Tempo (Chamamento Aldir Blanc)

Cia. Trilhas da Arte – Campinas

 

16h30 – Pequeno – Episódio 5 (Literatura que ecoa)

Cia. Bardos de Teatro – São José do Rio Preto

 

17h – A Loja de Relógios (Contação de história)

Mimos de Histórias – Paulista/PE

 

17h30 – Contos de distrair e brincar com a morte (Contação de Histórias)

Mafuane Oliveira da Cia Chaveiroeiro – São Paulo/ SP

 

19h – Moldura de lagartas (Lançamento de livro)

Susanna Busato – São José do Rio Preto

 

20h – Yabàs Divindades do Candomblé (Contação de história)

Eu + Tu – São José do Rio Preto

 

21h – Sarau Urbano

São José do Rio Preto

 

Sobre o Festival

O FrESTA é uma jornada literária, não-competitiva e totalmente online tendo a coordenação artística da contadora de histórias Kiara Terra e coordenação geral do contador Tiago Augusto Lima e como propósito principal o desdobramento da arte literária para além dos livros. O festival recebeu mais de 170 inscrições de grupos, coletivos, artistas e contadores de histórias de todo o país. A curadoria foi realizada por Kiara Terra, diretora artística, e Lawrence Garcia, Diretor da Cia. Apocalíptica, que escolheram 46 projetos das cidades de Ituiutaba (Minas Gerais), Salvador (Bahia), Belo Horizonte (Minas Gerais), Extremoz (Rio Grande do Norte), Montenegro (Rio Grande do Sul), Paulista e Belo Jardim (Pernambuco), São Paulo (capital), Bertioga, Campinas, Presidente Prudente e São José do Rio Preto. 

 
Compartilhe:

Post Author: blogdasonia