O Poder do Nascer: A história do nascimento é feminina

Compartilhe:

Contemplado pelo Prêmio Nelson Seixas, projeto retrata histórias de mulheres a partir da maternidade.


Nathalie Gingold

Buscando apresentar o momento do nascimento sobre a ótica feminina, por meio da fotografia e das falas das mães, o projeto itinerante “O poder do nascer: A história do nascimento é feminina” está em fase final de produção. A partir do olhar sensível da fotógrafa Nathalie Gingold, mãe e doula, o projeto consiste em uma exposição itinerante que capturar as diferentes perspectivas e olhares da maternidade em São José do Rio Preto.

         

Contemplado pelo edital numero 003/2019-SMC, da lei de fomento Nelson Seixas/Lei Cultura Para Todos, na modalidade Artes Visuais – Fotografia – “O poder do nascer: A história do nascimento é feminina” reúne registro fotográfico e histórico da fala das mães de Rio Preto, por meio de entrevistas que relatam como elas enxergam a maternidade. Dividido em duas etapas: na gestação, sobre o q ela espera do parto; e após o nascimento. As fotografias são feitas nas casas das mulheres a fim de mostrar as diferentes classes sociais.

“A intenção do projeto é de registro das histórias de nascimentos. Embora achemos que o que busco é falar do nascimento dos bebês, na verdade é do nascimento das mães envolvidas neste processo. Afinal, quando nasce um bebê, nasce uma mãe também.”, explica a idealizadora do projeto Nathalie Gingold.

      

O lançamento será no dia 24 de outubro, às 17h, no Riopreto Shopping e passará também pelo o Instituto As Valquírias e no CEU das Artes da cidade. O projeto fica disponível um período de uma semana em cada localidade. As próximas datas serão definidas.

Sobre a artista

Com sólida experiência nas áreas de artes visuais com ênfase na fotografia e pintura, Nathalie Gingold, sempre visa, em seus trabalhos, o olhar para a personalidade da mulher e na visão artística da beleza. Em 2011, recebeu o prêmio Nelson Seixas pelo projeto fotográfico “Musas de Si”, e fez exposições tanto na cidade de São José do Rio Preto, quanto na capital, sempre com o olhar voltado à mulher. Atuante como doula e fotógrafa de parto desde 2014, em partos domiciliares e hospitalares, na condução de rodas de gestantes e rodas voluntárias através do instituto “As Valquírias” em zona periférica da cidade.  

Sobre o Prêmio

Criado em 2003 como prêmio estímulo, pela Prefeitura de Rio Preto, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, o Programa Municipal Nelson Seixas de Fomento à Produção Cultural tem como objetivo apoiar a execução de projetos culturais, desenvolver a cultura local e permitir o acesso da população. Nas duas últimas edições, 2017 e 2018, o Prêmio Nelson Seixas passou por um processo de reestruturação, reorganização e ampliação de modalidades abrangidas, criando-se opções de fomento para produção e também para circulação, bem como aumento no valor total e individual investido.

Compartilhe:

Post Author: blogdasonia