Livro “Que coisa esquisiiita” é lançado Rio Preto

Compartilhe:

Livro infantil fala sobre dúvidas, escolhas e aprendizagem

Você já sentiu uma coisa esquisita quando precisou fazer uma escolha?! É sobre isso que trata o livro “Que coisa esquisiiita”, que foi lançado no dia 21 de abril, das 17h às 21h, na praça 1 de evento, no Riopreto Shopping, em São José do Rio Preto/SP. O lançamento teve um bate-papo com Marilúcia Ferreira, autora do livro e contação de histórias, comandado por Danila Bassi.

A publicação, que conta vivências e aprendizagens da personagem Malu, aborda temas como dúvida, escolha, consequências, sentimentos, emoções e o protagonismo para a resolução de conflitos no universo infantil.

Em “Que coisa esquisiiita”, Malu sente uma coisa estranha quando se depara com a dúvida, em uma situação em que pretende fazer diferente do usual. “Nem sempre as pessoas preferem criar, mas é valioso desenvolver o protagonismo e agir, mas antes pensar: eu quero? eu posso?, eu devo?”, assim  evita-se a imprudência promovida por copiar os modelos,  pontuou Marilucia Ferreira.

“Que coisa esquisiiita” é o último livro da trilogia Malu, que ainda é composta por “Balança Malu” (2015) e “Você pode escolher?” (2016).  Com o lançamento da publicação, a autora Marilucia Ferreira conclui a série que traz uma reflexão sobre como crianças aprendem e fazem suas escolhas, e como pais e professores educadores podem incentivar e inspirar os pequenos a compartilhar, aprender e se desenvolver, por meio da educação e das relações interpessoais.

A trilogia contando as peripécias de Malu surgiu a partir das experiências que Marilucia teve ao longo de vários anos lecionando para crianças da educação infantil e dos anos iniciais do ensino fundamental. “Considero a escola um ambiente inspirador e por isso, registrei como educadora bons momentos que não poderiam ficar esquecidos dentro da gaveta. Assim, trago à tona alguns aspectos preponderantes do processo de ensino e aprendizagem”, explicou Marilucia.

Segundo Marilucia, momentos de observação das crianças agindo sem a intervenção direta do adulto são valiosos. E é sobre essas vivências que a autora escreve.  “A experiência com os pequenos foi motivadora, pois revelou o jeito de ser e pensar referente à gênese de identidade dos pequenos: quem sou, do que gosto, com quem quero brincar”, disse a autora. “Que coisa esquisiiita”e toda a trilogia Malu faz não só as crianças, mas adultos e educadores refletirem sobre como a aprendizagem acontece e influencia no desenvolvimento infantil.

Sobre a autora

Marilucia Ferreira tem 53 anos. Durante a infância sua atenção se voltava a seu pai deitado na rede onde lia e escrevia poemas. Ele faleceu na sua adolescência e Marilucia passou a fazer registros de episódios do dia a dia. Primeiro em diários, e com o tempo, percebeu o valor desses “documentos”, para ela. “Escrever era como uma foto dos meus sentimentos”, recordou.

Assim nasceu a escrita em sua vida, para que momentos significativos não se perdessem. A ideia era aprender revisitando suas experiências. Assim, quando estava muito triste, procurava um local e escrevia. “A sensação era de que o papel me conduzia a novos e inimagináveis espaços onde o pensamento se expandia livremente”, contou Marilucia.

Na vida profissional, os registros continuaram a fazer parte de seu dia a dia. Muitos estudos foram necessários para embasar e planejar as aulas que lecionava e propiciar condições que permitissem a evolução de seus alunos. E assim, a literatura infantil foi um pretexto para que Marilucia continuasse a dialogar com as crianças, pais e educadores.

Mais informações: http://www.mfeducacional.com.br/

Compartilhe:

Post Author: blogdasonia