Festival Ações Literárias ocupa Biblioteca Municipal em outubro e homenageia Paulo Freire

Compartilhe:

Em sua 1ª edição, FAL promove em São José do Rio Preto/SP 12 atividades gratuitas em três dias de programação, com palestras, bate-papos, exposição infográfica, leitura compartilhada e relatos sobre leitura e literatura

São José do Rio Preto recebe nos dias 25, 26 e 27 de outubro a primeira edição do FAL – Festival Ações Literárias, que em 2019 tem como tema “A Importância do Ato de Ler” e homenageia o educador pernambucano Paulo Freire (1921-1997). Durante seus três dias, o festival ocupará a Biblioteca Pública Municipal Dr. Fernando Costa com 12 ações literárias, entre palestras, bate-papos, exposição infográfica, leitura compartilhada e relatos sobre leitura e literatura.

Toda a programação é gratuita. As inscrições começam nesta sexta-feira (27/9), e vão até que as vagas estejam esgotadas, pelo site do FAL (https://fal.casadecriar.com.br/).

O Festival Ações Literárias é uma realização da casa de criar – escritório de arte, por meio do Prêmio Nelson Seixas/ProAC Municípios. A iniciativa tem apoio institucional do Instituto Paulo Freire (IPF) e conta com a parceria da Prefeitura Municipal de São José Rio Preto, por meio da Secretaria Municipal de Cultura.

Com curadoria da educadora Carolina Manzato e produção executiva do artista visual juny kp!, o FAL tem compromisso com o incentivo e fruição da leitura, a democratização da leitura e da literatura, a ampliação da bagagem leitora dos participantes e o investimento na formação do hábito leitor. Na edição que homenageia Paulo Freire, a importância da leitura pelo caráter sociológico – sob a perspectiva da leitura que propicia autonomia e consciência crítica ao indivíduo, questão central da obra do educador -, permeia a programação.

A maratona literária tem início com a palestra “A Importância da Leitura e do Incentivo à Leitura em nosso País”, com o professor doutor Carlos Rodrigues Brandão, no dia 25 de outubro, às 14h, no auditório da Biblioteca. Profundo conhecedor da vida e obra de Paulo Freire, com quem conviveu, Brandão é autor de obras que transitam entre produção acadêmica e produção literária. Ele falará sobre leitura, sobre sua imersão no universo da cultura e da educação popular enquanto educador e sobre sua relação com a escrita, por meio de obras de sua autoria como, por exemplo, “Paulo Freire, o Menino que Lia o Mundo”. Depois da palestra, Brandão lança três de suas mais recentes publicações: “A Flauta de Prata”, “A Aventura do Encontro” e “Do Polegar Ao Pensamento”.

Nesta primeira edição, o FAL promove também uma performance inédita de leitura, com duração de 48 horas ininterruptas, desde sua abertura até o encerramento, intitulada “Vigília Literária”. Em frente a uma câmera, com transmissão ao vivo pelas redes sociais, as pessoas inscritas na performance terão 10 minutos cada uma para ler sua lista de escritoras e escritores da literatura que lhes sejam significativos, iniciando com nomes a quem sugerem para leitura e concluindo com nomes de quem gostariam de conhecer e se aprofundar.

Quem também participa do FAL é o escritor Marcelino Freire, com obras constantemente adaptadas para o teatro, vencedor do Prêmio Jabuti com o livro “Contos Negreiros” (Editora Record, 2005) e do Prêmio Machado de Assis, com o romance “Nossos Ossos” (Editora Record, 2013). Em um bate-papo, ele traz sua experiência como escritor, falando sobre sua produção literária e sobre as maravilhas e dificuldades que encontra no mercado editorial brasileiro.

Em diálogo com outras formas de expressão artística, o Festival Ações Literárias recebe o premiado cartunista e ilustrador Orlandeli, para um bate-papo em que compartilha o passo a passo do processo de produção de um livro de história em quadrinhos. Autor de obras como “O Mundo de Yang”, “Daruma” e “O Sinal”, Orlandeli produziu a Graphic MSP “Chico Bento – Arvorada”, lançada em 2017 pela Panini, vencedora do Troféu HQ Mix na categoria “melhor publicação juvenil” em 2018.

O jornalista, ator e produtor cultural Harlen Félix coordenará no Festival Ações Literárias uma atividade em torno do único romance do escritor gaúcho Caio Fernando Abreu, “Onde Andará Dulce Veiga?”, que pode servir como porta de entrada para a sua produção de contos. Além de falar sobre os principais aspectos ligados ao romance e a trajetória de Caio Fernando, também apresentará uma performance inspirada no livro. 

“Incentivar a leitura e democratizar o acesso à leitura e à literatura é, de fato, um ato de resistência, em um país com índices tão baixos nesse quesito”, afirma a curadora Carolina Manzato, que possui mestrado em Educação, com enfoque em Educação de Jovens e Adultos e dedicação à obra de Paulo Freire, seu respaldo teórico. “Abrir caminho para o contato com a literatura é possibilitar o encontro do ser com o que há nele de mais humano, sua própria condição.”

A programação do FAL contempla todas as idades, alcançando o público infantil. É o caso do Rodinhas Literárias, ação em que Carolina Manzato lê “Clara Manhã de Quinta à Noite” (uma história imaginada por Don Wood e sonhada por Audrey Wood). Os textos e as ilustrações convidam as leitoras e os leitores a desconfiarem do que veem na obra. 

“Apostar na cultura da leitura é de extrema urgência e relevância social, já que o acesso aos bens culturais é também uma forma de promoção da equidade”, afirma a curadora. Além de valorizar, visibilizar e difundir obras literárias, gerando recursos e conhecimento, o festival irá fomentar a troca de saberes, o incentivo à leitura e escrita, e os processos criativos.

Também há atividades reflexivas como a mesa “A Literatura Infantil Contemporânea”, com as professoras Luana Passos (pedagoga e mestra em Estudos Linguísticos) e Carolina Manzato, mediada pela professora Denise Fraga (mestra em Teoria da Literatura e especialista em Educação e Humanização.), além da ação “Sessões de Comunicações”, na qual as pessoas inscritas expõem práticas realizadas para incentivo à leitura e formação do hábito leitor.

Abertura

A abertura oficial do FAL será no dia 25 de outubro, às 19h, no hall da Biblioteca. A idealizadora e curadora do festival, Carolina Manzato, realizará uma fala de apresentação de Paulo Freire ao público, justificando a homenagem que o FAL a ele prestará em sua primeira edição. As obras que nortearão, em grande parte, o que se dirá são “A Importância do Ato de Ler” e “Alfabetização: Leitura do Mundo, Leitura da Palavra”.

Sobre Paulo Freire

Uma das personalidades mais importantes do cenário educacional mundial, Paulo Freire foi educador e pensador da Educação em contínuo movimento de produção teórica e experimentação prática. Envolvido com Educação Popular e, claramente, posicionado em favor dos oprimidos, ele é o escritor de “Pedagogia do Oprimido”, a terceira obra mais citada em trabalhos acadêmicos do mundo e também umas das mais traduzidas. Em 2012, foi declarado patrono da educação brasileira, pela lei 12.612, sancionada pela então presidente Dilma Rousseff.

“É importante ressaltar que Paulo Freire extrapolava a resolução do problema do analfabetismo, pois propunha não apenas a leitura da palavra, mas a leitura do mundo, por meio de uma sistemática dialógica, pautada na maiêutica socrática, que levava os educandos (vocábulo escolhido por ele com rigor para designar os que participavam do processo educacional na condição dos que se dispunham a superar o saber cotidiano) à reflexão crítica e à conscientização política”, afirma a curadora.

Sobre a casa de criar

Espaço de arte e formação cultural independente sediado em São José do Rio Preto, a “casa de criar – escritório de arte”, dirigido por Carolina Manzato e juny kp!, é um ambiente privado aberto a produção, circulação, formação e discussão sobre arte contemporânea e literatura. Desde 2011, atua na área de produção cultural, principalmente em parceria com a instituição Sesc e projetos corporativos. Sua programação é focada na realização de exposições de curta duração, autorais e curadas pelo escritório, e atividades formativas voltadas ao incentivo à leitura.

Contemplado pelo ProAC na categoria Incentivo à Leitura em Biblioteca Pública, nos anos de 2017 e 2018, o projeto “Casa de Criar: Ações Literárias” deu origem ao FAL – Festival Ações Literárias. Durante a execução do projeto, composto por encontros mensais, se expôs biografia e obra de 21 escritores e escritoras da Literatura Nacional e Estrangeira.

Serviço:

1º FAL – Festival Ações Literárias

Dias 25, 26 e 27 de outubro – São José do Rio Preto/SP

Local: Biblioteca Pública Municipal “Dr. Fernando Costa” (Praça Jornalista Leonardo Gomes, 01 – Centro). Grátis.

Programação completa e inscrições no site https://fal.casadecriar.com.br/.

Assessoria de Imprensa

Graziela Delalibera – MTb: 099/DRT-TO

(17) 99114-1343

grazidalla@gmail.com

PROGRAMAÇÃO 

DURANTE TODO O FESTIVAL


EXPOSIÇÃO “PAULO FREIRE: EDUCAR PARA TRANSFORMAR”

Curadoria: Carolina Manzato

Exposição biográfica infográfica permanente de Paulo Freire. Além de dados biográficos, pretende-se destacar a relaçāo do autor com a leitura e o potencial da mesma como instrumento de transformaçāo social.

Local: hall do espaço térreo da Biblioteca Municipal

Não é necessário fazer inscrição

FEIRA DE LIVROS POCKET

Editoras, autoras e autores são convidadas e convidados para exposição e comércio de livros.

Local: hall do espaço térreo da Biblioteca Municipal

Pessoas interessadas devem enviar seus dados (nome, foto de divulgação, e-mail e telefone), release de até uma página (contando sobre si e os livros que pretende levar ao Festival Ações Literárias) e imagens de capa dos livros ao e-mail leitura@casadecriar.com.br.

DIA 25 DE OUTUBRO, SEXTA-FEIRA


14h

PALESTRA: “A IMPORTÂNCIA DA LEITURA E DO INCENTIVO À LEITURA EM NOSSO PAÍS” E LANÇAMENTO DE LIVROS

Com Carlos Rodrigues Brandão

Com um extenso currículo, o professor doutor Carlos Rodrigues Brandão é autor de “O que é Educação”, “O que é Folclore”, “O que é Método Paulo Freire” e de tantas outras obras que transitam entre produção acadêmica e produção literária. Ele trará para o FAL sua bagagem de vida, falando sobre leitura, sobre sua imersão no universo da cultura e da educação popular enquanto educador e sobre sua relação com a escrita, por meio de obras de sua autoria como, por exemplo, “Paulo Freire, o Menino que Lia o Mundo”. Ele também faz o lançamento inédito de três de suas mais recentes publicações: “A Flauta de Prata”, “A Aventura do Encontro” e “Do Polegar Ao Pensamento”.

Público: formadores, educadores, artistas, editoras, pesquisadores e interessados em geral

Inscrições: https://fal.casadecriar.com.br

Seleção: primeiros inscritos

Vagas: 200

Currículo:
Carlos Rodrigues Brandão é licenciado em psicologia e psicólogo pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1965); mestre em antropologia pela Universidade de Brasília (1974). É doutor em ciências sociais pela Universidade de São Paulo (1980); livre docente em antropologia do simbolismo pela Universidade Estadual de Campinas. Realizou pós-doutorado na Universidade de Perugia e na Universidade de Santiago de Compostela. É “fellow” do St. Edmund’s College da Universidade de Cambridge. Atualmente é professor colaborador do Programa de Pós-Graduação em Antropologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), professor colaborador do POSGEO da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e professor visitante da Universidade Estadual de Goiás. Possui experiência na área de antropologia, com ênfase em antropologia camponesa, antropologia da religião, cultura popular, etnia e educação, com foco na educação popular É Comendador do Mérito Científico pelo Ministério de Ciência e Tecnologia, doutor honoris causa pela Universidade Federal de Goiás, doutor honoris causa pela Universidad Nacional de Lujan (Argentina), professor emérito da Universidade Federal de Uberlândia, e professor emérito da Universidade Estadual de Campinas. Escreveu artigos e livros nas áreas de antropologia, educação e literatura.

19h

ABERTURA SOLENE

19h30

FALA SOBRE PAULO FREIRE

Com Carolina Manzato, curadora

A curadora do FAL, Carolina Manzato, fala sobre a vida e a obra do educador Paulo Freire, justificando a homenagem que o festival a ele presta em sua primeira edição. As obras que norteiam, em grande parte, o que se dirá são “A Importância do Ato de Ler” e “Alfabetização: Leitura do Mundo, Leitura da Palavra”.

Currículo:

Mestra em Educação (UFSCar), com enfoque em Educação de Jovens e Adultos e dedicação à obra de Paulo Freire, seu respaldo teórico, Carolina Manzato é graduada em Letras (Unesp) e psicopedagoga (Famerp). Educadora em cursos de graduação e pós-graduação relacionados à Educação, sócia e diretora executiva da casa de criar, idealizadora, curadora e facilitadora dos projetos Casa de Criar: Ações Literárias e Rodinhas Literárias, além do FAL – Festival Ações Literárias. É colunista da rádio CBN Grandes Lagos, com o quadro Educação em Pauta.


20h

VIGÍLIA LITERÁRIA: INÍCIO

Nesta performance, com duração de 48 horas, da abertura ao encerramento do festival, pessoas convidadas, frente a uma câmera ao vivo, via redes sociais, leem uma lista feita de próprio punho, com nomes de escritoras e de escritores da literatura mundial que lhes sejam significativos. Cada pessoa performa/lê por 10 minutos. 

Público: formadores, educadores, artistas, editoras, pesquisadores e interessados em geral

Inscrições: https://fal.casadecriar.com.br

Seleção: primeiros inscritos

Vagas: 200

20h40

SARAU FREIREANO

No hall em que está instalada a exposição biográfica, textos e fragmentos de obras de Paulo Freire, com temática pertinente ao conceito de leitura e de sua importância para a formação do pensamento crítico, são distribuídos ao público como convite à leitura compartilhada.

Não é necessário fazer inscrição

DIA 26 DE OUTUBRO, SÁBADO


14h 

RODINHAS LITERÁRIAS 

Com Carolina Manzato

Dentro do Rodinhas Literárias, Carolina Manzato lê “Clara Manhã de Quinta à Noite” (uma história imaginada por Don Wood e sonhada por Audrey Wood). Os textos e as ilustrações convidam as leitoras e os leitores a desconfiarem do que veem nessa obra. 

Público: crianças e acompanhantes responsáveis

Inscrições: https://fal.casadecriar.com.br

Seleção: primeiros inscritos

Vagas: 50

16h

DEBATE: A LITERATURA INFANTIL CONTEMPORÂNEA 

Com Luana Passos e Carolina Manzato. Mediação: Denise Fraga

As professoras Luana Passos, pedagoga e mestra em Estudos Linguísticos, e Carolina Manzato falam de literatura infantil, de escritoras e de escritores, de obras e de práticas para a formação do hábito leitor. Com mediação da professora universitária Denise Fraga, licenciada em Letras, mestra em Teoria da Literatura e especialista em Educação e Humanização.

Público: formadores, educadores, artistas, editoras, pesquisadores e interessados em geral

Inscrições: https://fal.casadecriar.com.br

Seleção: primeiros inscritos

Vagas: 200


18h

COFFEEBREAK

18h30

SESSÕES DE COMUNICAÇÕES

Via inscrição e aceite, as participantes  e os participantes interessadas(os) expõem práticas realizadas para incentivo à leitura e formação do hábito leitor. Cada exposição terá duração máxima de 15 minutos.

Público: formadores, educadores, artistas, editoras, pesquisadores e interessados em geral

Inscrições: https://fal.casadecriar.com.br

Seleção: via curadoria, por meio da análise do trabalho enviado, considerando a qualidade e a relevância.

Vagas: 16 apresentações e 80 ouvintes

DIA 27 DE OUTUBRO, DOMINGO


14h

NARRATIVAS GRÁFICAS

Com Orlandeli

Cartunista e ilustrador premiado, Orlandeli compartilha nessa atividade o passo a passo do processo de produção de um livro de história em quadrinhos. Autor de obras como “O Mundo de Yang”, “Daruma” e “O Sinal”, Orlandeli produziu a Graphic MSP “Chico Bento – Arvorada”, lançada em 2017 pela Panini, vencedora do Troféu HQ Mix na categoria “melhor publicação juvenil” em 2018. O bate-papo terá duas etapas. Primeiro, as participantes e os participantes sanam dúvidas que eventualmente aparecem durante a elaboração de uma HQ. Depois, o autor demonstra, na prática, como finaliza suas obras.

Público: formadores, educadores, artistas, editoras, pesquisadores e interessados em geral

Inscrições: https://fal.casadecriar.com.br

Seleção: primeiros inscritos

Vagas: 200

16h

CASA DE CRIAR: AÇÕES LITERÁRIAS

Com Harlen Félix

Jornalista, ator e produtor cultural, Harlen Félix é repórter de cultura e arte do jornal Diário da Região e ator da Cia. Ir e Vir, ambos em São José do Rio Preto. Em sua jornada artística, já desenvolveu uma série de performances inspirada na obra do escritor gaúcho Caio Fernando Abreu. No Festival Ações Literárias, comandará uma atividade em torno do único romance do escritor, “Onde Andará Dulce Veiga?”, que pode servir como porta de entrada para a sua produção de contos. Além de falar sobre os principais aspectos ligados ao romance e a trajetória de Caio Fernando, também apresentará uma performance inspirada no livro. 

Público: formadores, educadores, artistas, editoras, pesquisadores e interessados em geral

Inscrições: https://fal.casadecriar.com.br

Seleção: primeiros inscritos

Vagas: 200

17h30

COFFEEBREAK

18h

BATE PAPO COM MARCELINO FREIRE

Marcelino Freire fala sobre seu trabalho como escritor, sua produção literária e sobre as maravilhas e as dificuldades que encontra no mercado editorial brasileiro. Conhecido por suas obras constantemente adaptadas para o teatro, e por sua atuação como professor de oficinas de criação literária, Marcelino Freire é também produtor cultural. Sua obra “Contos Negreiros” recebeu o Prêmio Jabuti de Literatura em 2006. E a “Nossos Ossos” recebeu o Prêmio Machado de Assis em 2014. Pernambucano, vive em São Paulo desde 1991. É o criador e curador da Balada Literária, evento que reúne, desde 2006, escritores nacionais e internacionais pela Vila Madalena. Em 2018, lançou o livro “Bagageiro”, reunindo o que ele chama de “ensaios de ficção” (Editora José Olympio).

Público: formadores, educadores, artistas, editoras, pesquisadores e interessados em geral

Inscrições: https://fal.casadecriar.com.br

Seleção: primeiros inscritos

Vagas: 200

20h

VIGÍLIA LITERÁRIA: FIM

Compartilhe:

Post Author: blogdasonia