Captação de órgãos no HUSD pode salvar até nove vidas

Compartilhe:

Foram doados coração, córneas, pulmões, rins, pâncreas e fígado

Uma captação de órgãos realizada no último sábado, 12, no Hospital Unimed São Domingos (HUSD), em Catanduva, pode salvar até nove vidas. O procedimento foi possível após autorização da família da analista de laboratório Jóice Prampolin Pastre, de 27 anos, que morreu em razão de um aneurisma cerebral. A morte encefálica foi constatada na sexta-feira, 11.

Foram doados coração, córneas, pulmões, rins, pâncreas e fígado. A cirurgia, bastante complexa, contou com equipes de cirurgiões de São José do Rio Preto, Ribeirão Preto e São Paulo, e levou quase seis horas para ser realizada.

Presidente da Comissão Intrahospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos (CIHDOTT), o intensivista José Braz Cotrim explicou que a paciente sofria de aneurisma de artéria oftálmica. Ela foi internada na quarta-feira, 9. “Fizemos todos os procedimentos necessários para reverter o quadro. Depois de constatada a morte encefálica, comunicamos a família sobre a possibilidade da doação. Em um gesto nobre, eles autorizaram. Agora, nove vidas podem ser salvas”, ressaltou o médico.

A enfermeira Regiane Sampaio, supervisora da Organização de Procura de Órgãos do Hospital de Base, em São José do Rio Preto, reforçou a importância da doação, momento em que tantas famílias, mesmo em momento de dor, conseguem pensar no próximo. Ela lembrou que no mês de setembro é celebrado o Dia Nacional da Doação de Órgãos.

“Esperamos que a família tenha conforto ao saber que ajudaram tantas outras. O Setembro Verde, celebrado no próximo dia 27, é representado por estas famílias, que encontram forças para uma atitude tão nobre no pior momento de suas vidas. A eles, o nosso respeito e gratidão”, disse.

Jóice era noiva e fazia planos para o casamento, previsto para fevereiro do próximo ano. Este é o segundo procedimento de captação de órgãos no HUSD em menos de 60 dias. Em 25 de julho, a jovem Gabriela Martinez Papi, de 25 anos, teve morte cerebral confirmada após um Acidente Vascular Cerebral (AVC) isquêmico. Foram doados fígado, rins, córneas e o coração (válvulas cardíacas).

Equipes

Participaram da cirurgia de captação de órgãos os cirurgiões Ulisses Alexandre Cotri, coordenador da equipe de Cirurgia Cardíaca, e Antonio Carlos Escorel de Almeida Neto, ambos do Hospital de Base, em São José do Rio Preto; os cirurgiões Fábio Volpe e Wellen Canesin, da equipe de transplante do Hospital das Clínicas, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto; o cirurgião Francisco Sergi Filho, do grupo de transplante de pâncreas, rins e fígado do Hospital Lefort, em São Paulo; o cirurgião torácico Henrique Nietmann, coordenador da equipe de transplante de pulmão do Hospital de Base de São José do Rio Preto; a enfermeira Regiane Sampaio, supervisora da Organização de Procura de Órgãos do HB; equipe de anestesiologistas do Hospital Unimed São Domingos e demais auxiliares.

Para o transporte dos pulmões e pâncreas, as equipes ainda contaram com o apoio da Força Aérea Brasileira (FAB).

Crédito da imagens: Divulgação/Unimed Catanduva

 

 

Compartilhe:

Post Author: blogdasonia